News

O que é MVP? Para o que ele serve?

Abrir uma empresa, além de complexo e trabalhoso, é um grande salto que pode mudar a carreira e o futuro de um empreendedor. Dentre todos os passos que envolvem o desenvolvimento de um negócio, existem alguns estudos que trabalham justamente em evitar erros técnicos, sejam eles no produto ou serviço que se pretende comercializar, conhecidos como MVP.

Para entendermos melhor o que é MVP (Minimum Viable Product, ou Produto Mínimo Viável), precisamos contextualizá-lo, afinal, a construção de um MVP pode ser confusa. 

Além de fundamental para transformar uma ideia em empresa de maneira certeira, o MVP leva seus fundadores para o caminho certo conforme recebe o feedback dos clientes, que muitas vezes concedem informações baseadas em sua opinião e reação.

Exemplo de MVP correto

Sobre o MVP

O conceito de MVP nasceu da mentalidade Lean, mais precisamente por Eric Ries, um empreendedor do Vale do Silício. 

“Nós temos uma chance, vamos acertar construindo o produto mais perfeito possível”

Eric Ries

De maneira geral, o MVP serve para medir a viabilidade de um negócio. São feitos testes com o público e, ao receber o feedback, são feitas alterações no desenvolvimento da empresa. O produto mínimo viável nada mais é uma versão simplificada do produto ou serviço fornecido, de uma maneira que possam ser feitos testes de mercado.

A necessidade de ser viável se deve ao fato de que é necessário testes de aceitação do cliente. Essa medida serve para o aprendizado rápido do que fazer para que uma ideia se transforme em realidade. Com esse retorno são aplicadas melhorias no desenvolvimento da ideia inicial do empreendedor, até que se obtenha uma versão ideal do projeto da empresa.

Por que utilizar?

O MPV vai se atualizando conforme as respostas dos clientes. Ele se modifica e se transforma a cada análise. É um ciclo sem fim, o produto é testado, com a opinião dos testadores ele se transforma e vai de novo para testes.

Recomenda-se o uso do Produto Mínimo Viável para economizar tempo no desenvolvimento do produto. A não utilizar o MVP, as empresas podem acabar gastando horas desenvolvendo algo que não irá agradar o cliente. Além disso, seu custo operacional é extremamente baixo comparado com outros métodos, por isso, além de economizar dinheiro, fica fácil atender o potencial cliente.

Por isso, o MVP é necessário para economizar dinheiro tentando descobrir se uma ideia vai atender a necessidade e resolver o problema do público. Ele deve representar o que a empresa deseja, alinhando as expectativas com a realidade.

Ver mais
News

O que é e como validar uma ideia de negócio

Uma das etapas mais importantes de um negócio é a “validação do problema”. Esse termo é exaustivamente usado entre empreendedores, livros e eventos relacionados à startups, isso acontece porque saber validar uma ideia é um dos pontos críticos para o sucesso de um negócio.

De forma simples, validar um negócio, ou problema, é o ato de testar uma ideia, negócio ou hipótese. O objetivo deve ser o aprendizado em relação à sua hipótese inicial. A validação do problema é uma etapa super importante na construção de uma startup, pois permite entender a forma como as pessoas que pretendemos ter como futuros clientes enxergam a urgência daquela situação e inclusive se é possível e viável, solucioná-la.

Os passos iniciais consistem em:

  • Ter uma ideia: um negócio, produto, melhoria de algo existente, um problema, etc…
  • Definir as variáveis: quem é o público? onde vamos testar? quando vamos testar?
  • Definir o experimento: fazer roteiros de entrevistas, reunir contatos.
  • Realizar o teste: pode ser um MVP, pode ser uma entrevista, etc.
  • Analisar o aprendizado: quais foram os resultados? o que eles nos dizem?
Etapa inicial da validação do problema

A validação é uma das primeiras coisas que você deve ter em mente quando começa uma startup pois, na maioria das vezes, é o principal motivo de falência entre as startups. Por isso, foram criadas diversas formas de ajudar empreendedores neste processo delicado, porém, deve-se sempre levar em conta algumas questões como: definir um segmento que você deseja atender; estabeleça o que será validado; defina o método de validar; análise os resultados.

No entanto, há uma verdade universal que define e engloba todo esse conceito que é:

O cliente é seu chefe!

A primeira coisa que você deve descobrir é se o seu cliente acredita que o que você está construindo resolve o problema dele. E para resolver isso, deve-se fazer uma entrevista, pois esta é a melhor forma de entender o perfil do seu cliente. Existem algumas dicas, que podem ser usadas nesse processo, que ajudam no processo de validação.

  • Construa um roteiro que o ajude a aprender sobre o problema.
  • Mantenha o foco da entrevista no problema.
  • Dê preferência para entrevistas presenciais.
  • Peça por tempo suficiente.
  • Não pague por entrevistas
  • Não grave as entrevistas, anote.
  • Documente os aprendizados e ideias logo após a entrevista.

Descobrir logo de cara se a sua ideia é realmente viável ou não, logo no início, faz toda a diferença. Após o processo de validação, preocupe-se em buscar a solução.

Ver mais
News

Modelo de Negócios: o que é e como construir o seu?

Existem diversos passos necessários para a criação de uma empresa. Uma das primeiras coisas a se fazer é decidir qual será seu tipo de modelo de negócios. Nos últimos tempos, surgiram várias opções, ainda mais agora com o aparecimento de modelos dinâmicos, devido ao boom das startups.

O Modelo de Negócios ajuda a iniciar bem um empreendimento. De acordo com a definição do suíço Alex Osterwalder, que procurou facilitar o entendimento completo de um negócio:

“O modelo de negócios é a forma como a empresa cria, entrega e captura valor”

Alex Osterwalder

Assim, o modelo tem como objetivo descrever todos os elementos e fases que compõem um empreendimento, proporcionando a integração da organização. Uma das formas de definir isso é através do Canvas, uma das principais ferramentas na elaboração de um modelo de negócios. Nós, da 9weeklabs, utilizamos em nossas aulas um modelo simplificado, o Lean Canvas, que permite observar pontos fundamentais de um plano de negócios em apenas uma folha. 

Modelo de Lean Canvas da 9weeklabs

Tudo isso ajuda a proporcionar uma visualização completa dos processos da organização. O Modelo de Negócios possibilita inovar, estabelecendo uma proposta de valor única para o empreendimento. O principal benefício desse modelo, que incentiva o seu uso nos processos iniciais de uma empresa, é sua simplicidade e rápida implementação. Tudo que é necessário e uma página, alguns post-its e uma mesa.

Seu plano de negócios deve responder algumas perguntas básicas:

  • O que vou fazer?
  • Para quem vou fazer?
  • Como vou fazer?
  • Quanto vou gastar?

É necessário saber que cada um desses blocos está relacionado com os demais, disponíveis no modelo apresentado, que pode conter ajustes em cada fase futura, quantas vezes forem necessárias. 

Esse é, portanto, o caminho para descobrir como se diferenciar, conquistar clientes, reduzir custos e obter receitas.

Ver mais
News

Ecossistemas de startups da América Latina e o destaque curitibano

Atualmente, tem se falado muito em startups, unicórnios e o seu crescimento vertiginoso em todo o mundo. Segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups), nos últimos quatro anos, entre 2015 e 2019, o número de startups no Brasil mais que triplicou, passando 4.151 para 12.727, um salto de 207%. A América Latina, num âmbito geral, tem se mostrado uma região onde empreendedores andam apostando na abertura e desenvolvimentos de startups, seja criando suas próprias ou investindo em ideias elaboradas por outros.

De acordo com um estudo desenvolvido pela The Global Startup Ecosystem Report 2020, publicado no dia 25 de junho deste ano, cinco cidades latino-americanas se destacam por hospedarem alguns dos ecossistemas de startups que mais se crescem no mundo, seja por seu potencial ou por suas ideias.

Ecossistemas de startup da América Latina (Fonte: Entrepreneur)

Segundo o gráfico divulgado pela organização, que avaliou outras 270 cidades da américa-latina, Bogotá e Cidade do México possuem as pontuações mais altas desse ranking, embora cada uma se destaque em um segmento correspondente. A capital mexicana, por exemplo, se destaca nos talentos humanos. com uma pontuação de 9, numa escala de 1 a 10.

No Brasil, a cidade de Curitiba, capital do Paraná, é a única incluída nesse gráfico. Ela é a única metrópole que não é capital nacional, além disso, foi a que obteve melhor nota no desempenho geral do ecossistema de startups, com pontuação de 7 em 10. Curitiba foi a cidade que viu o nascimento da fintech Ebanx, uma das últimas startups da américa-latina a ver seu status crescer a nível de unicórnio. A mesma ainda obteve a nota mais alta pelo valor total de ecossistema e pelo nível geral de sucesso das startups que optam por hospedá-lo.

Num contexto geral, comparado com outros centros emergentes de startups pelo mundo todo, os locais latino-americanos possuem uma baixa pontuação no alcance de mercado, onde apenas Bogotá de destaca.

Ver mais
News

Método “blitzscalling” e a velocidade dos negócios

Durante os últimos tempos, diversas formas de crescimento empresarial foram criadas e aplicadas em empresas que, ao longo do tempo, se tornaram ícones do segmento em que atuam. Dentre os métodos, destaca-se o “Blitzscalling” que, de maneira geral, resume-se em crescer rapidamente, sem poupar gastos, com o objetivo de se tornar líder absoluto no setor em que atua.

Tendo sua nomenclatura derivada do uso da palavra “blitz” do século XX, inspirada da estratégia de “guerra relâmpago”, o termo foi criado pelo escritor e mentor Chris Yeh, juntamente com Reed Hoffman, criador do Linkedin, e apresentada em seu livro de mesmo nome “Blitzscalling: formas criativas de atingir metas”. A aplicabilidade da proposta se tornou tão famosa que empresas como Uber e WeWork adotaram as medidas como forma de crescimento.

Porém, ambas as companhias enfrentam problemas com o cenário atual de pandemia, que trouxe menor liquidez colocando um ponto final na caça desenfreada por crescimento. Mas a ideal central de dar prioridade à velocidade não perdeu sentido, renovando-se. Segundo Chris Yeh, em uma entrevista concedida à revista Valor, “o rápido é provavelmente mais devagar que antes”.

“Se todos os seus competidores são forçados a desacelerar, e você também, desde que mantenha-se um passo que lhe garanta uma vantagem relativa sobre eles, você ainda pode atingir seus objetivos”

Chris Yeh

Para o escritor, o mercado será mais racional nos gastos, levando em consideração a situação em que encontra-se, mas, como os movimentos serão cíclicos, ele disse acreditar que a tendência é que volte aos picos atingidos recentementes. O “blitzscalling”, segundo ele, nunca baseou-se em gastar para crescer rapidamente, mas sim em pensar em como crescer rapidamente.

Num primeiro momento, a pandemia será favorável a empresas maiores que já possuem posição de liderança, pois vai pressionar quem tem menos estrutura. No entanto, no longo prazo, o efeito da competição não tende ser muito grave, já que a mudança de comportamento abrirá novos espaços para que novas empresas apareçam, reequilibrando o jogo. 

Por fim, o autor enxerga um cenário positivo para empreendedores de países latino-americanos. Para ele, o constante cenário de crises recorrentes pode servir como vantagem no mundo pós-pandemia. “As pessoas estão percebendo que choques são mais possíveis do que elas imaginavam. E empreendedores que tenham passado por situações dessas no passado são mais resilientes”, conclui Yeh.

Ver mais
News

Motivação em tempos de crise

É comum nos depararmos com momentos em que nos sentimos desmotivados, esse sentimento pode surgir em qualquer situação de nossas vidas e por diversos motivos. Em momentos de crise, quando somos bombardeados com fases menos positivas, temos uma razão suficientemente válida para nos sentirmos assim. Porém, mesmo em tempos ruins, é possível mantermos a motivação.

No Brasil, a taxa de empreendedores individuais cresceu muito nos últimos anos, isso significa que, de maneira geral, o brasileiro está olhando cada vez mais para o trabalho por conta própria, a fim de garantir um trabalho estável e que lhe possa trazer uma boa renda financeira. Com esse crescimento substancial no empreendedorismo, com destaque para o mercado de e-commerce, é normal que diversos desafios cheguem e coloquem a prova o espírito de perseverança, como por exemplo a concorrência que, por conta de um mercado individual enxuto, dificulta o trabalho de quem decide investir em um negócio por conta própria.

Atualmente, para colaborar com esse cenário de incertezas, enfrentamos outra crise que surgiu de forma inesperada, pegando todos de surpresa. O coronavírus, que gerou a necessidade de isolamento mundial, abalou de forma intensa a economia, com destaque especial para negócios que dependiam do presencial. Essa crise, diferentemente da concorrência, que pode ser combatida analisando a melhor forma de agir promovendo a marca e se comunicando com o público, o COVID-19 torna mais complexo por se relacionar, de certa forma, com a saúde do indivíduo.

Nessas circunstâncias, é completamente compreensível que muitas pessoas sintam o pessimismo com relação ao futuro e as incertezas, muitas vezes perdendo a motivação para prosseguir com seus negócios. 

Ainda assim, é preciso ter fé e seguir diante destas dificuldades, é possível adotar uma postura positiva e manter-se motivado. Para isso, apresentamos algumas dicas que podem ajudá-lo a manter a motivação:

Crie um propósito

Confiança e positividade deve partir do empreendedor e não só da empresa. É importante criar um propósito para que, perante situações mais complexas, você possa cumprir metas e objetivos, lutando por suas crenças e sonhos.

Viva as pequenas conquistas

Não espere pelos grandes momentos para celebrar. Todas as pequenas vitórias que possa ter devem ser encaradas com felicidade e positivismo. Celebre! Quanto mais intensamente viver as pequenas conquistas, mais motivado conseguirá manter-se perante os maus momentos

Objetivos de curto prazo

Ainda que a sua intenção seja vir a transformar o seu pequeno negócio numa empresa de sucesso, é importante que crie objetivos menores e para os quais consiga obter resultados a curto prazo. Claro que nada o impede de realizar esse grande objetivo no futuro mas, se for cumprindo pequenas metas ao longo do caminho, será mais simples sentir-se motivado.

Partilhe com os outros

O trabalho em networking, em coworking ou simplesmente a partilha das suas preocupações pode ajudar muito a te manter motivado. Neste contexto, não só compreenderá que não está sozinho nas suas apreensões e desafios, como poderá encontrar, em brainstorming, soluções para problemas que poderiam parecer impossíveis de solucionar.

Leia, escute e veja o sucesso

Hoje, as narrativas de sucesso estão em livros, filmes, documentários e podcasts. Ter acesso a elas é muito simples e pode ajudar muito. Conheça as histórias de quem viveu dias difíceis e as superou, criando negócios de sucesso. Isto ajudará a manter a sua motivação em alta.

Ver mais